Bolsistas do Leplanc publicam artigo na Revista Nordestina de Zoologia

05/03/2017 20:53

Bolsistas do Leplanc publicam artigo na Revista Nordestina de Zoologia

O artigo intitulado OCORRÊNCIA DE Biomphalaria straminea Dunker, 1948 (Gastropoda, Planorbidae) NA REGIÃO NEUSTÔNICA DE UM RESERVATÓRIO DO SEMIÁRIDO: SERIA UMA FORMA DE DISPERSÃO? de autoria dos bolsistas Íttalo Luã Silva Medeiros, do PET Biologia/UAST, e do mestrando Cláudio Simões de Morais Junior (PPG em Ecologia; bolsista Capes) foi aceito para publicação no volume especial da Revista Nordestina de Zoologia, em uma edicao especial com os trabalhos do XIX Encontro de Zoologia do Nordeste (2016).

Abaixo segue o resumo do artigo:

Resumo

Os moluscos gastrópodes planorbídeos são organismos comumente encontrados em ambientes aquáticos continentais do Nordeste brasileiro. Devido ao seu hábito raspador, os adultos aderem-se a superfícies móveis, como galhos, folhas, no corpo de outros animais e cascos de embarcação, garantindo sua dispersão. Entretanto, pouco se conhece quanto à dispersão das suas formas juvenis. Este trabalho tem como objetivo verificar a ocorrência de formas juvenis de Biomphalaria straminea na região neustônica de um reservatório do semiárido brasileiro (Serrinha II, Pernambuco), e investigar possíveis relações com alguns parâmetros abióticos. Em cada um dos 12 pontos demarcados ao longo do reservatório foram filtrados 100L de água superficial, registrando-se os juvenis de B. straminea no nêuston em 10 pontos do reservatório estudado, com maiores abundâncias nas estações centrais e próximo ao escoadouro. Correlações negativas entre a abundância e as variáveis condutividade elétrica e turbidez foram observadas. A distribuição na camada neustônica do reservatório estudado, e as maiores concentrações na zona central e próximo ao vertedouro, indicam que a citada espécie apresente dispersão essencialmente hidrocórica. Estudos experimentais futuros poderão trazer novos indícios sobre este tipo de comportamento dispersivo.

Palavras-chaves: Deriva, Estágios juvenis, Parâmetros abióticos, Zona limnética.

Voltar